Resenha #17 – Clube da Luta – Chuck Palahniuk

Olá Tchucutchucus!

A resenha da semana será sobre esse livro perfeito que me ensinou várias coisinhas haha. Gente, sério, adorei ler esse livro. Preparem-se, pois vai rolar muitos “fights”!

 

folder

 

 

Autor: Chuck Palahniuk

Editora: LeYa

Páginas: 272

Gênero: Sátira, Drama

Acabamento: Brochura

Classificação: 5/5 ❤

 

 

 

 

Sinopse: Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição. O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente. O livro foi filmado em 1999, pelo vencedor do Oscar de melhor diretor, David Fincher (Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.

(Fonte: LeYa)

tumblr_myr1mxmg5D1qm2dngo1_500.gif

Vamos deixar algumas coisas bem claras por aqui:

  • A primeira regra do Clube da Luta é: você não fala sobre o Clube da Luta.
  • A segunda regra do Clube da Luta é: você não fala sobre o Clube da Luta.
  • Terceira regra do Clube da Luta: se alguém gritar “Pára!”, fraquejar, sinalizar, a luta está terminada.
  • Quarta regra: apenas dois caras numa luta.
  • Quinta regra: uma luta de cada vez, pessoal.
  • Sexta regra: sem camisas, sem sapatos.
  • Sétima regra: as lutas duram o tempo que for necessário.
  • E a oitava e última regra: se esta for a sua primeira noite no Clube da Luta, você tem de lutar.

Estando ciente de todas essas oito regras, vamos começar o post.

Já quebrando a primeira regra, vamos falar da belezinha que é este livro. Eu acho que nunca li algo assim! Foi realmente novo e surpreendente e que prendeu minha atenção do começo ao fim.

Começa de um jeito doido, que as vezes fica um pouco complicado entender (mas isso não é motivo para não lê-lo, de jeito algum, é melhor ainda), mas no desenrolar da trama, a gente acaba compreendendo muitas coisas. Conta a história de um cara, que trabalha numa companhia de seguros, e que sofre de um caso grave de insônia.

Ele basicamente depende de seus remédios para “viver bem”. E as coisas só pioram quando seu médico se recusa a dar-lhe a medicação, aconselhando-o a visitar grupos de apoio para que ele possa ver que há gente sofrendo mais que ele.

Ele aceita e passa a frequentar vários deles fingindo ser uma vítima também, como o grupo de apoio para vítimas de tuberculose e linfoma, câncer testicular, parasitas do sangue e do cérebro, e por aí vai. De algum modo, ver todo aquele sofrimento, pessoas em casos terminais, acabou ajudando na sua insônia. Em um desses grupos, ele acaba conhecendo Bob, que é um homem que devido às mudanças hormonais causadas pelo câncer testicular, teve o desenvolvimento de seios.

                                              Impossível não amar o adorável Bob e suas “tetas” enormes

Tudo estava indo bem, até Marla chegar. Um impostor reconhece o outro. Ele já não conseguia mais ter noites tranquilas, a simples presença dela em todos os grupos que ele frequentava, estava estragando tudo. Então ele propõem à ela que frequente outros grupos e tentam entrar num acordo, e então dividem os grupos.

Em um dos voos à trabalho da empresa, o narrador, que aparentemente se chama Jack, conhece Tyler Durden.

giphy

Um vendedor de sabão, que vê a vida completamente diferente da forma que ele vê. Não liga para bens materiais, acha tudo isso uma besteira, enquanto Jack é consumista, adora comprar coisas para sua casa.

 A propaganda fez com que as pessoas buscassem carros e roupas que não precisam. Gerações trabalhando em empregos que odeiam, apenas para que possam comprar coisas que não precisam

As coisas que você possui acabam possuindo você. Você só é livre pra fazer o que realmente quer depois que perder tudo.

E é assim que acontece. Jack volta para sua casa e encontra suas coisas queimadas, espalhadas pela rua enfrente ao seu prédio. Tudo aquilo que ele amava, tudo o que tinha levado anos para comprar… Tudo estava perdido. Naquele momento a única pessoa que lhe passa na mente é Tyler. Eles se encontram num bar, e depois de algumas bebidas, eles saem e Tyler pede para Jack lhe dar um soco. E então começam uma briga. Quando acaba, Tyler chama Jack para ir morar em sua casa.

E é ai que as coisas começam a ficar realmente boas. É a partir daí que passamos a aprender coisas interessantes, como fazer uma dinamite caseira.

Você pega gordura animal e deixa o sebo endurecer, quando o sebo endurece, você tira uma camada de glicerina, adiciona ácido nítrico e temos nitroglicerina. Com mais nitrato de sódio e serragem, você cria a dinamite caseira.

É onde a vida de Jack muda completamente. E é ai que o Clube da Luta começa.

No clube da luta você luta contra todas as coisas que odeia nessa vida.

Nem tem como explicar o quanto gostei desse livro, sério. Cheio de críticas e muito, muito, humor negro. O livro todo é realmente um soco na cara da sociedade consumista.

8235e5255a0348dd2f965bfca62f6fad9c87e3e4_m.gif

O final foi uma reviravolta total, dá um “nó” em nosso cérebro. Esse livro mexe com a gente de certo modo, nos faz pensar e questionar certas coisas. É realmente uma ótima pedida.

Se quiserem dar uma conferida no trailer, segue logo à baixo:

Adicione no Skoob

Um ‘chero no cangote’ de vocês!

Ahh, e só mais uma coisa:

11.gif

(Fonte: Popcorn Garage)

13 comentários sobre “Resenha #17 – Clube da Luta – Chuck Palahniuk

  1. Sua resenha ficou incrível, Ju! Até hoje não sei se foi o livro ou o filme que me deixou mais boquiaberto, mas uma coisa é certa: não há nada como Clube da Luta *-*
    A propósito, você já leu a continuação? O Chuck Palahniuk fez uma graphic novel dessa vez, e dizem que Fight Club 2 está tão genial quanto o primeiro!

    Curtido por 1 pessoa

    • Muito obrigada, Igor!
      Clube da Luta foi uma das melhores coisas que já li e se tornou um dos meus preferidos! Infelizmente, ainda não tive a oportunidade, mas fiquei muito curiosa para saber como é. Pelo o que as pessoas dizem, deve ter ficado surpreendente!
      Obrigada pela visita 😉

      Curtido por 1 pessoa

  2. Oies… Adorei sua resenha! Eu já assisti ao filme e fiquei encantada, o final é tipo WTF??? Um dos filmes mais surpreendentes que já assisti na vida (junto com “A pele que habito”)…. Se o filme é maravilhoso, imagina o livro que é mais rico em detalhes? rs Bjos ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s