#MLI2017 – Maratona Literária de Inverno 2017

Oi Gente! E aí?

Já tinha ouvido falar sobre as Maratonas Literárias do canal Geek Freak do Victor Almeida, e esse ano, eu, a Ju e a Lara decidimos participar!

A maratona ocorrerá entre os dias 16 e 30 de Julho, e vai ter um esquenta, no dia 15, com 12 horas de duração! Estamos bastante empolgadas ❤

Pra quem quiser saber como o esquema funciona, é só assistir:

 

Como estamos começando nesse mundo de maratonas literárias, todas as 3 vão participar do nível fácil, que é composto por 3 desafios:

  • Um livro com a capa azul

  • Um livro com menos de 200 páginas

  • Um livro que você comprou pela capa

 

TBR da Geo:

  • Um livro com a capa azul

quando-tudo-volta-14-1-1000x1353_q85_crop

 

 

 

Sinopse: Uma morte por overdose. Um fanático estudioso da Bíblia. Um pássaro lendário. Pesadelos com zumbis. Coisas tão
diferentes podem habitar a vida de uma única pessoa?

Cullen Witter leva uma vida sem graça. Trabalha em uma lanchonete, tenta compreender as garotas e não é lá muito sociável. Seu irmão, Gabriel, de 15 anos, costuma ser o centro
das atenções por onde passa. Mas Cullen não tem ciúmes dele. Na verdade, ele é o seu maior admirador.
O desaparecimento (ou fuga?) de Gabriel fica em segundo plano diante da nova mania da cidade: o pica-pau Lázaro, que todos pensavam estar extinto e que resolveu, aparentemente, ressuscitar por aquelas bandas.
Em meio a uma cidade eufórica por causa de um pássaro que talvez nem exista de verdade, Cullen sofre com a falta do irmão e deseja, mais que tudo, que os seus sonhos se tornem realidade. E bem rápido.

 

  • Um livro com menos de 200 páginas

A Nona Configuração do William Peter Blatty

81wtd26o3al

 

 

 

Sinopse: Um médico psiquiatra, encarregado de tratar pacientes em uma macabra e secreta mansão gótica transformada em manicômio para ex-combatentes, se vê questionando sua fé e compaixão, em meio à loucura que impera no lugar. Logo esse trabalho começa a colocar em cheque todas as suas crenças, a tal ponto de ele não saber mais o limite entre o real e o falso, a sanidade e e o delírio.
Em A nona configuração, do autor best-seller de O exorcista, o psiquiatra Coronel Kane passa por muitas provações à medida que o centro é tomado pelo caos, e se depara com o seu maior desafio: enfrentar os próprios demônios… Nesta narrativa tensa e violenta, o suspense e terror psicológico imperam. Nada é o que parece ser e o final reserva grandes surpresas.

 

  • Um livro que você comprou pela capa

Social Killers do R.J. Parker e J.J. Slate

capa-social-killers-frente-final

 

 

 

Sinopse: Você realmente conhece todas aquelas pessoas listadas como seus amigos? Se o velho ditado “quem vê cara não vê coração” for mesmo verdade, o que se pode dizer sobre todos aqueles avatares sorridentes que você adicionou?

A realidade, ainda que virtual, pode ser bem mais assustadora que a ficção. Enquanto um vampiro precisaria ser convidado para entrar, um psicopata on-line não vai perder a oportunidade de entrar quando encontra janelas abertas. Cuidado com o que você curte.

 

TBR da Ju:

  • Um livro com a capa azul

Diário das Coincidências – João Anzanello Carrascoza

28000287_gg

 

 

 

Sinopse: Todo mundo tem uma coincidência para contar. Seja uma pequena troca de olhares entre desconhecidos que se reconhecem de passagem ou um nome que teima em aparecer no seu caminho. Este livro é permeado por esses tipos de coincidências. As histórias, vividas por um personagem que, por vezes, confunde-se com o próprio autor, vão sendo contadas em meio a pequenos momentos carregados de significado.
Com delicadeza e maestria, Diário das coincidências tece uma trama de pequenas histórias, em que o leitor, ao puxar um fio, vai descobrindo conexões e desvendando a beleza do dia a dia. Este breve diário expõe a leveza do destino e concede uma chave de leitura para o inexplicável cotidiano.

 

  • Um livro com menos de 200 páginas

psicose-robert-bloch

 

 

 

 

Sinopse: Psicose, o clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. Em Psicose, sem edição no Brasil há 50 anos, Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, assim com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror, inspirando um número sem fim de imitações inferiores, assim como a criação de Bloch, o esquizofrênico violento e travestido Bate, tornou-se um arquétipo do horror incorporado a cultura pop.

 

  • Um livro que você comprou pela capa

capa_ateofim-72

 

 

 

 

Sinopse: 1993. Em pouco tempo sete jovens se suicidam, e rumores sobre um ritual ganham as páginas dos jornais. A polícia descarta a opção e dá o caso como encerrado.

Anos se passam e Daniel Farias, um popular escritor de terror, decide reconstituir o caso em sua nova obra. Durante a pesquisa, descobre histórias sobre uma ordem secreta operando em nome de um demônio, o Dragão Vermelho, cujas origens remontariam a um exorcismo ocorrido no século XVI, na Espanha.
Sucesso imediato entre os fãs, o livro alcança a lista de best-sellers e também as páginas policiais, ao se espalhar a notícia de que leitores estariam se matando após a sua leitura. Isso faz as vendas explodirem, e o mistério aumenta quando o próprio Daniel começa a ser vítima de ameaças, enquanto pais preocupados tentam boicotar o livro.
Livro de estreia de Ivan Mizanzuk, uma das novas promessas do thriller nacional, Até o fim da queda desenha através de cartas, entrevistas e artigos de jornais uma trama de conspirações e inquietudes, ao mesmo tempo em que investiga as mais profundas angústias humanas, e o preço que pagamos ao tentarmos silenciá-las. Descobrir o que se esconde no fundo desse abismo pode custar sua própria sanidade.

 

TBR da Lara:

  • Um livro com a capa azul

Cultural_1885.qxd

 

 

 

Sinopse: Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes.
Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade.

 

  • Um livro com menos de 200 páginas

85133_gg

 

 

 

 

Sinopse: Considerada a melhor narrativa já escrita sobre um dos períodos mais nebulosos da história americana, Doze anos de escravidão narra a história real de Solomon Northup, um negro livre que, atraído por uma proposta de emprego, abandona a segurança do Norte e acaba sendo sequestrado e vendido como escravo. 
Depois de liberto, Northup publicou o relato contundente de sua história, que se tornou um best-seller imediato. Hoje, 160 anos após a primeira edição, Doze anos de escravidão é reconhecido como uma narrativa de qualidades excepcionais. Para a crítica, o caráter especial do livro deve-se ao fato de o autor ter sido um homem culto que viveu duas vidas opostas, primeiro como cidadão livre e depois como escravo.

 

  • Um livro que você comprou pela capa

73ba904b-68aa-4947-a580-e0458428c003

 

 

 

Sinopse: Maior fenômeno de poesia dos EUA na última década, há mais de 40 semanas no topo das listas de best-sellers. “Outros jeitos de usar a boca” é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

 

E aí, vocês vão participar da Maratona? Me conte nos comentários, vamos tentar não flopar juntos 😉

Beijinhos 😘

12 comentários sobre “#MLI2017 – Maratona Literária de Inverno 2017

  1. Pingback: [Mês do Horror] Tag – Macabra | Inícios Marcantes

  2. Pingback: Sobre a #MLI2017 – Geo | Inícios Marcantes

  3. Pingback: Resenha 36# Social Killers – Amigos Virtuais, Assassinos Reais – R.J. Parker e J.J. Slate | Inícios Marcantes

  4. Pingback: Resenha 35# Diário das Coincidências – João Anzanello Carrascoza | Inícios Marcantes

  5. Pingback: Resenha # Quando Tudo Volta – John Corey Whaley | Inícios Marcantes

  6. Oies meninas! Uauu, eu simplesmente adorei a TBR de vocês! Para começar, “Capitães de areia” é um dos meus livros preferidos da vida, então Lara torço muito para que você ame também, rs … Vários estão na minha listinha de desejados como “Outros jeitos de usar a boca”, “12 anos de escravidão”, “Diário das coincidências” (tive um primeiro contato com as obras do autor nesse semestre da faculdade e fiquei muito curiosa com esse livro) e se eu não me engano, “Quando tudo volta” me chamou muito atenção pela sinopse. Estou super ansiosa pelas resenhas! Desejo muita sorte para nós nessa maratona! 😉 Bjos

    Curtido por 2 pessoas

  7. Oiii meninas!
    Fico tão feliz em saber que participarão 🙂
    De todos os livros citados, tenho um grande interesse por “Outros jeitos de usar a boca”, da Rupi Kaur, que coincidentemente hoje mesmo estava falando sobre o mesmo com uma amiga, é um livro que nos ensina e nos faz refletir muito acerca de tantos assuntos, não vejo a hora de poder ler.
    Que vocês tenham uma ótima maratona e que o flop fique bem longe, haha!
    Beijos ❤

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s